Skip to content Skip to navigation

 

 

Como reduzir o fluxo de novos processos jurídicos entrantes

Um dos problemas enfrentados por departamentos jurídicos e escritórios de advocacia é que por mais que tentem, não param de chegar novos processos. Dependendo das considerações, alguns dirão que isso é um ponto positivo, pois representa trabalho e consequentemente uma fonte de receita. Porém, se levado em consideração que todo processo no estoque gera um custo, o ideal seria não receber novos processos. Outra possibilidade viável seria que eles fossem encerrados mais rápido do que entram ou, pelo menos, na mesma velocidade. Do contrário, os custos de manutenção dos processos no estoque (despesas processuais, honorários advocatícios, custos administrativos da equipe interna, entre outros) podem ser maiores do que as receitas advindas de seus encerramentos.

Portanto, frente à necessidade de reduzir ou controlar o fluxo de novos processos entrantes, identificamos algumas sugestões que podem servir de guia:

 

Identifique causas raiz dos processos jurídicos

Todo processo jurídico tem uma causa geradora, e analisando um grande universo de processos é possível identificar aquelas que são as mais comuns: às vezes, os motivos podem ser surpreendentes ou mesmo reveladores. Não cabe manter a gestão no campo do “eu acho que”, é necessário trazê-la para o campo do “eu analiso que”, e para alcançar esse patamar somente através da utilização de números e informações confiáveis.

O primeiro passo é identificar as causas raiz com clareza e certeza e categorizá-las por ordem de ocorrência ou grau de severidade para o negócio.

 

Crie com os gestores de cada departamento formas de mitigar os riscos

Depois de definir quais são os problemas maiores ou mais críticos é hora de sentar com os gestores de cada departamento e definir ações para a diminuição desses riscos. Nesse ponto não há segredo ou mágica: o gestor jurídico apresenta onde estão os problemas, e cabe ao gestor do outro departamento sugerir ações corretivas. Vale a pena ficar atento para que essas correções não acabem gerando outros problemas que vão resultar em novas causas raiz.

Como cada área da empresa ou do escritório tem as suas peculiaridades, contar com o auxílio do respectivo gestor é imprescindível, pois evita falsas ou imprecisas conclusões.

 

Defina KPIs para acompanhamento da evolução

Agora que os problemas foram identificados e categorizados, e um plano de ações corretivas elaborado, é necessário criar indicadores chave de performance para medir a evolução das ações e a consequente redução dos riscos ao longo do tempo. Além da seleção desses indicadores, é importante a seleção de um método para gerenciá-los.

O PDCA é um método simples e extremamente eficaz, pois ele permite a execução, a medição e o ajuste do planejamento ao passo que as atividades corretivas são postas em prática.

 

Foque a resolução dos problemas judiciais em acordos e arbitragens

Além disso, outra forma de reduzir o fluxo de novos processos entrantes, o que reduz consideravelmente a quantidade de processos na carteira da empresa ou escritório é evitar a todo custo os litígios: acordos e arbitragens são excelentes formas de se obter êxito nessa frente.

Se os processos forem encerrados antes mesmo de serem considerados parte do estoque, os custos de sua manutenção não serão contabilizados, sobrando mais recursos para que a empresa ou escritório invista em seu negócio principal.

Blog

05/06/2017
Assim como qualquer outro produto ou serviço, ninguém escolhe o primeiro que encontra, e com software jurídico não poderia ser di...
17/04/2017
Não são todas as situações que pedem padronização, seja esta de qual tipo for, mas em outras ela se faz extremament...

Newsletter



 

e-Xyon Tecnologia para Gestão © 2016 - Todos os direitos reservados   |  Política de Privacidade  |  Feedback