Skip to content Skip to navigation

 

 

COMO COMBATER EFICAZMENTE A CORRUPÇÃO (E A CLEPTOCRACIA)? “BIG BANG THEORY”

Não que seja impossível alterar rapidamente uma cultura de corrupção sistêmica (como a brasileira). Mas para que isso ocorra muitos fatores devem concorrer concomitantemente.

Uma das “receitas” mais impressionantes e pregnantes para se combater a chaga da corrupção sistêmica na sociedade assim como a praga da cleptocracia no Estado (dominado e governado por setores, grupos, frações ou classes que só pensam nos seus interesses privados) foi desenvolvida pelo sociólogo sueco Bo Rothstein, que é o criador da “Teoria do Big Bang” (2007). Essencialmente ele sustenta o seguinte:

Regra 1 – Todo mundo sabe que a corrupção é errada: “os corruptos sabem que essa prática é imoral e danosa para a sociedade. Mas isso não é suficiente para evitá-la; não basta internalizar os efeitos malignos para a sociedade de uma prática; impõe-se criar os incentivos (e obstáculos) adequados para que as pessoas não se envolvam nela”;

Regra 2 – Julgamos inútil ser o único honesto na sociedade: “os corruptos sabem também que, pela teoria dos jogos, numa sociedade altamente corrompida, não faz sentido ser a única pessoa honesta na cidade”; “mesmo as pessoas que acham que a corrupção é moralmente errada são suscetíveis de participar dela, quando elas não veem nenhum motivo para fazer de outra forma”;

Fonte: JusBrasil

Autor: Luis Flávio Gomes

Data: 03/02/2016

Clique aqui para ler na íntegra

 

COMENTÁRIOS:

Não existe receita, modelo ou tutorias para várias coisas na vida, porém, com um pouco de estudo e boa vontade, algumas pessoas coneguem sugerir "fórmulas" para algumas dessas coisas. Por exemplo, pode parecer impossível combater a corrupção, certo? Ainda mais em um país de território continental com uma máquina pública gigantesca, certo? Bom, não é bem por aí! O sociólogo sueco Bo Rothstein desenvolveu uma metodologia para o combate à corrupção que pode ser aplicada à cleptocracia brasileira.

São 26 regras e aqui são mostradas apenas 2, na intenção de aguçar sua curiosidade e o(a) levar a ler o artigo na íntegra. Alguns pontos são muito interessantes, como ser preciso que todos (ou a maioria absoluta) mudem seu comportamento: a prática da corrupção não cessa enquanto os comportamentos alheios não mudam (ninguém quer ser o único honesto da cidade); ou seja, as pessoas querem mudança mas não querem mudar: querem sempre que os outros mudem seu compartamento, mas nunca querem mudar as suas próprias. E a repressão é necessária, mas sozinha não resolve: não se pode perder de vista que a dura repressão contra a corrupção, para ser eficaz, deve fazer parte de um leque imenso de mudanças culturais, educacionais e comportamentais; ou seja, não é reprimir que resolve, é muito mais simples e eficaz (re)educar!

Se partir de todas as pessoas, desde o simples cidadão até o altão escalão da gestão do país, e tivermos uma liderença série e de pulso firme, é possível erradicar, ou pelo menos reduzir a níveis irrisórios dentro do Brasil.

Blog

18/09/2017
Encerrar os processos é parte essencial da gestão jurídica de departamentos jurídicos, pois reduz o estoque de processos gerencia...
01/08/2017
Quando o número de clientes de um escritório de advocacia cresce, pode se tornar mais complicado dar conta de todos os contatos gerados por ele...

Newsletter



 

e-Xyon Tecnologia para Gestão © 2016 - Todos os direitos reservados   |  Política de Privacidade  |  Feedback