Skip to content Skip to navigation

 

 

ÉTICA NA ADVOCACIA

O Advogado deve ser moldado pela ética na sua vida profissional. O Direito precisa de juízes, advogados, promotores e servidores da justiça éticos naquilo que fazem.

O respeito à lei e à ordem são essenciais para que a sociedade possa se desenvolver, e o país tenha condições de receber recursos externos para a geração de novos empregos. O órgão responsável pela preservação dos direitos e garantias assegurados aos residentes no país é o Poder Judiciário, por meio de seus juízes, que no Brasil somente se tornam julgadores mediante um concurso público de provas e títulos, com a participação da Ordem dos Advogados do Brasil. Aos Poderes Executivo e Legislativo é reservada a missão de fiscalizar as atividades desenvolvidas pelos demais órgãos. O sistema de freios e contra-freios é uma garantia contra os abusos ou excessos que possam ser cometidos no exercício das funções públicas.

O advogado em um sistema democrático possui um papel de extrema importância para a preservação da ordem e dos direitos assegurados ao cidadão. No exercício de seu ministério privado que possui um múnus público o advogado é um agente de transformação, e contribui para que o direito possa acompanhar as evoluções da sociedade. O art. 2º, caput, do Código de Ética diz que, "O advogado, indispensável à administração da Justiça, é defensor do estado democrático de direito, da cidadania, da moralidade pública, da Justiça e da paz social, subordinando a atividade do seu Ministério Privado à elevada função pública que exerce".

Fonte: JusBrasil

Autor: Fátima Miranda

Data: 10/2015

Clique aqui para ler na íntegra

 

COMENTÁRIOS:

O advogado, muito mais do que ser ético por si mesmo, deve ser verdadeiro arauto da ética, lutando para que todos - seus pares, magistrados, juízes e clientes - também o sejam. Em última análise, a figura do advogado é construída justamente em cima dessa premissa: uma pessoa ética que conduzirá uma demanda jurídica da maneira mais correta, explícita e transparente.

Deveria esta figura, portanto, sempre procurar a melhor forma de resolução dos conflitos, onde em nosso estado democrático de direito, trata-se da conciliação. Deveria todo advogado, a qualquer custo, evitar o litígio, afinal, este tem um peso negativo para toda a sociedade, não apenas para as artes envolvidas em determinad processo individual. Toda a morosidade da Justiça brasileira pode ser considerada como consequência da cultura litigante que instaurou-se no país, contudo, a sociedade tem que aprender a resolver seus problemas sem a necessidade da intervenção da Justiça, principalmente em menores causas, e tem que aprender a "perder".

Basicamente, para o bom exercício desta nobre profissão, basta se agir com respeito. Se nenhuma atitude for tomada de forma impensada, o interesse e, principalmente, o direito de todos, estará preservado e garantido.

Blog

05/06/2017
Assim como qualquer outro produto ou serviço, ninguém escolhe o primeiro que encontra, e com software jurídico não poderia ser di...
17/04/2017
Não são todas as situações que pedem padronização, seja esta de qual tipo for, mas em outras ela se faz extremament...

Newsletter



 

e-Xyon Tecnologia para Gestão © 2016 - Todos os direitos reservados   |  Política de Privacidade  |  Feedback